Sábado, 13 de abril de 2024
informe o texto

Notícias Educação

Universidade Federal de Mato Grosso

UFMT investe para aprimorar ensino, pesquisa e extensão

Ascom/UFMT

29/02/2024 - 10:52 | Atualizada em 29/02/2024 - 11:03

Para ampliar o reconhecimento de seu papel na formação e capacitação dos estudantes e reforçar seu protagonismo no desenvolvimento social, econômico e cultural do Estado, a Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) vem realizando contínuos investimentos em infraestrutura, formação e capacitação dos servidores. Aliando iniciativas próprias e parcerias com o poder público e entidades privadas, os resultados são vistos em seu tripé de sustentação - o ensino, a pesquisa e a extensão - e no retorno direto à sociedade.
No ano de 2024, por exemplo, a UFMT oferecerá aproximadamente cinco mil vagas em 93 cursos nos Câmpus do Araguaia, de Cuiabá, de Sinop e Várzea Grande no Sistema de Seleção Unificada (SiSU). Atendendo uma demanda da sociedade, a instituição aprovou uma resolução que bonifica com 15% a nota dos estudantes que cursaram o Ensino Médio integralmente no Estado.
Além disso, a Universidade reajustou os valores de seis auxílios estudantis. As bolsas e auxílios passaram de R$ 400 a R$ 700. Já a diária para aula de campo saiu de R$ 35 para R$ 70.
 


Investimentos
Pela sustentabilidade e economia de recursos, a UFMT implantou usinas de geração de energia elétrica fotovoltaica. A ação alcança os Câmpus de Cuiabá, Barra do Garças, Pontal do Araguaia e Sinop com investimento de cerca de R$ 10 milhões e economia esperada de aproximadamente R$ 2 milhões ao ano.
Com um quadro comum às demais Instituições de Ensino Superior do Brasil, com recursos menores anualmente, a Universidade buscou a parceria dos parlamentares para obter verbas que possibilitassem o pleno funcionamento da instituição e a conclusão do Câmpus de Várzea Grande.
Uma articulação resultou em emenda parlamentar do deputado Abílio Brunini da ordem de R$ 3 milhões, sendo que R$ 1 milhão será utilizadopara o término do Câmpus e o restante no Hospital Veterinário e no Centro de Medicina e Pesquisa em Animais Silvestres (Cempas).
Com investimento de aproximadamente R$10 milhões a UFMT iniciou o processo de instalação de cerca de 550 pontos de internet wi-fi no Campus de Cuiabá, visando eliminar espaços sem cobertura da rede interna. O projeto inclui também os câmpus de Sinop e do Araguaia, com aproximadamente 150 novos pontos.
No âmbito do pessoal, a Universidade Federal de Mato Grosso publicou a portaria que implantou o Programa de Gestão e Desempenho (PGD). O reitor da UFMT, professor Evandro Soares da Silva, destacou que o programa representa um avanço nas entregas de diferentes setores da universidade. “É uma expectativa de melhorarmos o desempenho na Universidade Federal de Mato Grosso considerando que esse é o objetivo do PGD, um programa de gestão de desempenho que envolve não apenas o trabalho remoto, mas uma concepção de entrega por resultados do setor administrativo da universidade, de modo que a UFMT possa mapear os setores em PGD para que as pessoas possam cada vez mais prestar serviços de qualidade a toda a sociedade”, ressaltou.
 
HUJM
Demanda social de grande relevância, o término da construção do novo Hospital Universitário Júlio Müller é pauta constante. A obra, que é gerida pelo Governo do Estado de Mato Grosso, tem previsão de entrega para setembro de 2024. Paralelo a isso e com o objetivo de obter recursos para a gestão da unidade, que atenderá 100% via Sistema Único de Saúde (SUS), a UFMT dialoga com a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh) e o Ministério da Educação.
A nova unidade hospitalar contará com 228 leitos de internação, 68 leitos de repouso e 63 leitos de Unidades de Terapia Intensiva (UTIs), sendo 25 para adultos, 18 pediátricos e 20 para atendimento neonatal.  Além disso, a infraestrutura total também abrange 12 centros cirúrgicos, 85 consultórios, 45 salas de exame, 21 salas para banco de sangue e triagem e outras 53 salas administrativas.
 
Pesquisa
A produção científica da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) segue em uma curva crescente nos últimos anos. Em 2022, o volume total de produções aumentou 10,5% em relação ao ano anterior, ponto  que está ligado ao trabalho realizado pelos pesquisadores da instituição, bem como ao elevado potencial da instituição de captação de recursos junto às agências de fomento.
O saldo da produção no campo da ciência na UFMT é composto por uma somatória que considera a totalidade de publicações de artigos, livros, capítulos de livros e produtos técnicos. Em 2022, foram 3.783 produções desse tipo frente a 3.422 do ano anterior. Nacionalmente, contudo, a realidade destoa dos números registrados na instituição. Isso porque um relatório recente evidenciou uma queda histórica na produção científica do país.
 
Extensão
Elo fundamental entre as atividades desenvolvidas no âmbito da UFMT e a sociedade em geral, a ação extensionista teve, em 2022, um novo espaço: a cidade. Com o mote “Fazendo a diferença”, as ações aconteceram na escola estadual “Cleinia Rosalina de Souza”, Centro Cultural Casa das Pretas e Abrigo Bom Jesus. A mostra teve como objetivo principal apresentar as ações de Extensão realizadas pelos docentes, técnicos administrativos, estudantes de graduação e pós-graduação, além de membros da comunidade externa envolvidos em projetos e programas de Extensão nos Câmpus de Cuiabá e Várzea Grande.
 
Futuro
Os Conselho Universitário (Consuni) e de Ensino, Pesquisa e Extensão (Consepe) da (UFMT) aprovaram em outubro do ano passado o novo Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI) para o período de 2024-2028. O documento, além de exigência legal, é  importante instrumento de planejamento e gestão, contou com a participação da comunidade acadêmica e da sociedade em geral para contribuir na proposição de ações para os eixos de Ensino, Pesquisa e Inovação, Extensão e Gestão.
A Pró-Reitoria de Planejamento (Proplan) elaborou um painel com informações com o objetivo de apresentar, de forma clara e concisa, alguns dos principais tópicos do do PDI.
Para o reitor da UFMT, professor Evandro Soares da Silva, a Universidade  tem avançado em cada novo PDI, a fim de torná-lo mais estratégico e indicador de uma visão global de Universidade de médio e longo prazo. “Partindo disso conseguimos atribuir projetos e programas que ensejam uma instituição sólida que atenda as demandas da sociedade. Esse PDI foi bem trabalhado com consulta à sociedade, nos mais diversos segmentos, a fim de termos a orientação nossa visão estratégias, e irmos ao encontro das demandas sociais”, finalizou.
 
Sitevip Internet