Sexta-feira, 12 de julho de 2024
informe o texto

Notícias Últimas

Deputado acha 'Injusto'

Assis repudia denúncia do MPE contra tenente-coronel por morte de bandido

Luana Rodrigues com informações de Bruno Pinheiro/Redação

10/07/2024 - 08:24

Assis repudia denúncia do MPE contra tenente-coronel por morte de bandido

Foto: Divulgação

O deputado federal Coronel Assis (União Brasil) se posicionou contrário à denúncia do Ministério Público Estadual (MPE) em desfavor do tenente-coronel Otoniel Gonçalvez Pinto pela morte de um assaltante que auxiliou na invasão de sua casa. Além de protocolar contra o PM pelo homicídio, também foi pedido o pagamento de indenização à família do morto. Em entrevista ao MTPlay, o parlamentar disse que é injusta a representação.

A representação, assinada pelo promotor Vinicius Gayva Martis, é em razão de Otoniel Pinto ter atirado contra Luanderson Patrik Vitor de Lunas, durante roubo em sua casa. Se aceita a denúncia pela Justiça, o tenente-coronel se tornará réu e aguardará julgamento.

“A denúncia é totalmente desnecessária. Acredito que não se constrói a justiça dessa forma. Eu acredito que isso foi muito injusto mesmo porque, como eu disse, ninguém se furtou a ser investigado. O tenente-coronel que reagiu a uma ação criminal de dois marginais em Cuiabá, foi submetido ao inquérito policial. Esse inquérito policial teve toda a reconstituição, provas periciais, provas testemunhais e o próprio delegado de polícia, na fase do inquérito entendeu que existia uma excludente de ilicitude”, frisou o deputado Coronel Assis.

Pela morte de Luanderson, o Ministério Público pede indenização para “reparação dos danos” causados à família do morto. Além da denúncia pelo homicídio, o pedido de pagamento também tem gerado controvérsias. “O que nos deixa mais consternados, além da denúncia da vítima se tornando réu, é a questão de se indenizar um criminoso que morreu, pelo amor de Deus, né? Que mensagem nossa respeitável instituição do Ministério público vai estar passando à sociedade brasileira”, questionou Coronel Assis.

Conforme, o deputado a Câmara dos Deputados não deve compactuar com a denúncia feito pelo Ministério Público. “Peço que a Justiça mato-grossense e o Poder Judiciário tenham a sensibilidade de rejeitar essa denúncia, de desqualificá-la no sentido de não promover que a vítima se torne réu”, avaliou como uma inversão de valores.

O crime

Após retornar da escola onde deixou os filhos, o tenente-coronel Otoniel foi surpreendido com um assaltante dentro de casa. Ele, a esposa e o sogro foram rendidos, em novembro de 2023. Dois comparsas auxiliaram o crime, dentre eles Luanderson.

Depois que os criminosos saíram da casa, o tenente-coronel Otoniel pegou sua arma de fogo funcional e efetuou oito disparos contra o veículo, onde estavam os bandidos. Um dos tiros atingiu Luanderson na nuca.

“A gente entende que esse fato é isolado não reflete a importância que o Ministério Público tem dentro do estado democrático de direito, como fiscal da lei, como responsável pela ação penal. A gente acha que é importante, mas esse tipo de situação não é uma mensagem boa que o Ministério público passa à população brasileira”, finalizou o deputado Coronel Assis.

Por meio de carta aberta, o tenente-coronel disse que viveu “40 intermináveis minutos de terror, sob a mira de um revólver, entre a vida e a morte, assistimos à profanação de nosso sagrado lar sem esboçar qualquer reação, tudo para o fim de preservar nossas vidas”. Ele disse que espera justiça para que não seja réu do caso.

Fonte: Mtplay
 
Sitevip Internet