Sexta-feira, 12 de julho de 2024
informe o texto

Notícias Belezas de Mato Grosso e do Mundo

Turismo

Estação da seca, hora de ver a onça pintada

Estação da seca, hora de ver a onça pintada

Foto: Branco Arruda

E finalmente julho chegou, entre julho e outubro, são os meses de estação seca do Pantanal, onde as águas já estão escoadas, e o solo mais firme em muitas regiões. Esse é o período ideal para a locomoção por terra, que se torna muito mais facilitada entre as   fazendas e pousadas. A exploração do território também fica muito mais simples, com muitas opções de passeios.

Um dos roteiros mais vendidos atualmente no Pantanal de Mato Grosso é o avistamento para o encontro com a onça pintada, hoje ela se tornou o maior atrativo na natureza, na região entre Poconé e Porto Jofre no final da transpantaneira, quase divisa com o Mato Grosso do Sul.



A onça pintada é considerada o maior felino das Américas a (Panthera onça,) da família Feliade, é uma das espécies emblemáticas da fauna brasileira. No Pantanal, esse felino costuma habitar as margens do rio Paraguai, onde tornou-se um excelente nadador.

Aqui no Brasil, a onça-pintada é listada pelo IBAMA (2003) como ameaçada de extinção, e globalmente é classificada como quase ameaçada (IUCN, 2008). A conversão de seu habitat natural em pastos e lavouras é a principal causa da redução de 50% de sua distribuição original. A espécie ocorria historicamente em 21 países, mas já foi extinta no Uruguai e El Salvador.



A onça-pintada é importante para as ações de conservação por ser uma espécie guarda-chuva. Suas exigências ecológicas englobam todas as exigências das demais espécies que ocorrem no seu ambiente. Por isso preservar a espécie é salvaguardar vários outros animais do mesmo ecossistema.

Nos rios do Pantanal encontramos a maior densidade da espécie, mas também indícios de perda de habitat e caça. O pesquisador-chefe do Projeto Bichos do Pantanal já tem registro de 38 onças-pintadas na região da Estação Ecológica Taiamã. Os dados dessa pesquisa são fruto de uma parceria com o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), que ocorre desde 2008.



Mas aqui na região do chamado Pantanal Norte a incidência em grande escala já colocou o roteiro turístico como o melhor lugar do mundo para observação da onça pintada, só na região do Jofre mais de 300 animais já estão catalogados, aqui os safaris e passeios levam o turista até o habitat natural da onça, para o avistamento. Atualmente os turistas buscam os passeios sempre atras das pegadas da onça pintada. Dessa forma o roteiro do Jofre está entre os melhores safaris do planeta.

O turismo movimenta uma indústria milionária no não de 2015, só na região do Jofre o turismo de oca movimentou mais de 7 milhões de dólares, e no ano passado o salto foi para 10 milhões de dólares, e com isso aumentou também em 40 por cento a oferta de leitos na região, os dados são da Ong Panthera s Mato Grosso do Sul.



Aqui hoje o Pantanal e considerado a casa das maiores onças pintadas do mundo. No bioma, que ocupa parte de Mato Grosso, uma onça-pintada macho pode atingir 150 kg, enquanto a fêmea pode chegar a 110 kg. Em outros biomas, a realidade é diferente. Ver de perto uma onça-pintada. Este parece ser o sonho da maioria das pessoas que viajam em números cada vez maiores para aproveitar a natureza no Pantanal, A oportunidade de “encarar” o maior felino das Américas e o terceiro maior felino do mundo, atrás apenas dos tigres e leões, passou a ser uma missão não tão difícil e perigosa desde que virou prática do turismo ecológico, uma atividade que gera renda, cria empregos e promove a importante conscientização ambiental.


 
 
Sitevip Internet