Sexta-feira, 12 de julho de 2024
informe o texto

Notícias Política

Deputado Júlio Campos solicita audiência contra o fim da Empaer-MT

Deputado Júlio Campos solicita audiência contra o fim da Empaer-MT

Foto: Reprodução

Em defesa da Empaer a Assembleia Legislativa realiza uma audiência pública na segunda-feira, 24, às 14 horas. A audiência foi requerida e será presidida pelo deputado Júlio Campos (União) atendendo servidores e o sindicato que os representa, o Sinterp.

A Empaer permanece sob ameaça de extinção desde 2003, quando o então governador Blairo Maggi tomou posse. Quem sustenta a afirmação é Gilmar Brunetto, o Gauchinho, presidente do Sinterp. Ano a ano, segundo ele, a empresa é boicotada, mas seus servidores e pesquisadores levam adiante o trabalho para o fortalecimento das 145 mil famílias da agricultura familiar nos 141 municípios.
O objetivo da audiência é alertar e mobilizar a população contra o desmantelamento da Empaer, e convencer Mauro Mendes da necessidade de manutenção e fortalecimento da empresa.

Na semana passada, o Sinterp e um grupo de servidores da Empaer discutiram o cenário com Júlio Campos e o deputado estadual Wilson Santos (PSD), no gabinete do presidente da Assembleia, Eduardo Botelho (União). Os participantes asseguraram que levarão a luta adiante, mas sabem que enfrentarão muita dificuldade, pela obstinação de Mauro Mendes e do vice-governador Otaviano Pivetta (Republicanos) em extinguir a Empaer.

Dessa reunião surgiu a proposta para se convidar os prováveis candidatos ao governo em 2026, para que os mesmos assumam compromisso de reerguer das cinzas o que restar da empresa. Assim, foram relacionados os seguintes nomes: Otaviano Pivetta; senadores Jayme Campos (União), Wellington Fagundes (PL) e Carlos Fávaro (PSD), que é ministro da Agricultura; a deputada estadual Janaína Riva (MDB); e o empresário Odílio Balbinotti, considerado filiado ao PTB, mas que pode ter migrado para o PL.

Ainda sobre presença, Gauchinho ao longo da semana passada convidou servidores de todos os municípios onde a Empaer se faz presente, prefeitos, vice-prefeitos, vereadores, secretários municipais de Agricultura e figuras do governo, com destaque para Suelme e o secretário de Agricultura Familiar (SEAF) Luiz Artur de Oliveira Ribeiro, o Luluca Ribeiro – a Empaer é vinculada à SEAF.

ÁREAS – A decisão é pela venda integral dos campos em Cáceres e Rosário Oeste. Gauchinho destaca que no primeiro foram desenvolvidas pesquisas sobre capim e produzidas mais de 100 mil mudas de banana-da-terra da variedade anã.

Para o campo de Tangará da Serra a meta é a venda de 149 hectares, área que é nascente do rio São José, afluente do Sepotuba, do Pantanal. Gauchinho considera essa hipótese “inconcebível”. Segundo ele, trata-se de uma reserva natural distante 20 km da cidade e que poderia ser mantida como centro de pesquisa e de conservação ambiental.

Quanto ao campo de Sinop, a meta do governo é vender parte da área. O dirigente sindical alerta que o campo é vizinho à Penitenciária Regional Ferrugem, e que a mão de obra carcerária poderia ser utilizada pela Empaer dentro do programa de ressocialização liderado pelo desembargador do Tribunal de Justiça, Orlando Perri.

SUGESTÃO – A área em Várzea Grande que Mauro Mendes quer transformar em conjunto habitacional poderia ser oferecida em parceria à Embrapa, que planeja instalar uma unidade de pesquisa naquela cidade, para atender a Baixada Cuiabana. Gauchinho pondera que a estrutura existente é suficiente para abrigar todos os laboratórios e demais dependências necessárias, e que ali, os técnicos da Embrapa e da Empaer poderiam trocar experiências pela resolutividade da ciência agronômica.

A instalação da Embrapa em Várzea Grande foi anunciada pelo ministro Carlos Fávaro (Agricultura) como sendo em atendimento a um pedido do deputado estadual Lúdio Cabral (PT), mas Fávaro esqueceu-se de citar que o pedido original partiu do Sinterp.
 
 
Sitevip Internet