Quarta-feira, 29 de maio de 2024
informe o texto

Notícias Educação

Melhores empregos: 73% dos jovens fora da escola querem voltar a estudar

Pesquisa ouviu 1,6 mil pessoas entre 15 e 29 anos em todo o país; maioria planeja retornar à sala de aula para conseguir trabalho com salário melhor, em Mato Grosso, estudantes encontraram na EJA do Sesi MT uma oportunidade de concluir o ensino médio

Melhores empregos: 73% dos jovens fora da escola querem voltar a estudar

Foto: Divulgação

Jovens que interromperam os estudos enfrentam dificuldades quando buscam uma oportunidade de emprego com salário mais atrativo. Esse obstáculo tem despertado neles o desejo de retornar à sala de aula, é o que aponta a pesquisa Juventudes Fora da Escola, do Itaú Educação e Trabalho e da Fundação Roberto Marinho, divulgada neste mês.

Link da pesquisa

O levantamento ouviu 1,6 mil pessoas entre 15 e 29 anos em todo o país e 73% deles responderam que pretendem concluir a educação básica. Entre os motivos para terminar o ensino médio estão ter um emprego melhor (37%) ou arrumar um emprego (15%), além do desejo de ingressar no ensino superior (28%).

A maioria precisou adiar o sonho de concluir os estudos por diversas razões, como a necessidade de trabalhar (32%) e para cuidar da família (17%). No entanto, com o passar dos anos, o mercado de trabalho foi se tornando mais exigente e competitivo, cenário que fez eles repensarem a decisão e irem em busca do diploma do ensino regular.

Foi o que aconteceu com Valentina Teodoro, 18 anos. A separação dos seus pais a forçou paralisar os estudos, o que resultou em empregos com salários aquém do desejado. Com objetivo de elevar sua performance profissional, a jovem encontrou na Educação de Jovens e Adultos (EJA) do Serviço Social da Indústria (Sesi), em Várzea Grande, uma oportunidade finalizar o ensino médio com a expectativa de aumentar seu rendimento financeiro.

"Decidi retornar à sala de aula porque compreendi que para alcançar melhores oportunidades de emprego é fundamental possuir o ensino médio completo. Além disso, tenho planos de cursar uma faculdade para expandir meu conhecimento e ampliar minhas possibilidades de atuação profissional”, conta a estudante, que atua como babá e cuidadora de criança em uma escolinha particular.

A rondonopolitana Simone Alves é um exemplo de que a educação transforma realidades. Ela concluiu os estudos em 2023 por meio da EJA do Sesi e decidiu ir além, ingressou na faculdade de pedagogia. Essa escolhe levou Simone a um estágio na prefeitura de Rondonópolis, onde há 10 anos já trabalhou no setor de limpeza.

“Eu limpava chão com muito orgulho. Minha trajetória me trouxe até o estágio em uma sala de aula. Agradeço o acolhimento dos professores que estiveram ao meu lado na EJA. Eles me incentivaram a não desistir”, lembra.

Feliz em conquistar uma carreira e ter a chance de um salário mais atrativo, Simone aconselha os jovens que planejam terminar o ensino básico. “Não desiste jamais por ninguém. Estude por você. É uma satisfação chegar em casa e ver a alegria da sua família e o brilho no olhar do seu filho em ver você terminando o ensino médio e entrando numa faculdade com a possibilidade de aumentar o ganho salarial”, diz.

Reconhecimento de saberes

O diferencial da EJA do Sesi MT é a agilidade no ensino. O programa utiliza a metodologia do reconhecimento de saberes, que considera os conhecimentos prévios de cada aluno e tem um currículo organizado por competências.

Além de finalizarem os estudos mais rápido, os alunos contam com as aulas flexíveis, sendo 80% da carga horária online e 20% presencial. Os encontros presenciais são realizados uma vez por semana (conforme calendário do curso). Nos quatro dias da semana em que o estudante não está no Sesi, ele pode acessar a plataforma de estudos de onde quiser e no horário que tiver disponível.

De acordo com o gerente de Educação do Sesi MT, Fernando Pereira, a metodologia oportuniza um futuro de realizações para as pessoas que vislumbram melhores colocações no mercado. A iniciativa é gratuita e visa facilitar o acesso à educação. “A educação é transformadora; ela é a ponte entre uma pessoa e o emprego que deseja. Entendemos essa necessidade e desenvolvemos uma EJA de qualidade e flexível”, aponta.

Em 2023, a instituição atendeu 3.500 alunos nos quatro polos da instituição, situados em Várzea Grande, Rondonópolis, Cáceres e Sinop. Neste ano, já foram efetuadas 926 matrículas e a expectativa é de que sejam ofertadas mais 2.500 vagas, até o mês de dezembro.

Documentos necessários

Para realizar a matrícula na EJA, os trabalhadores da indústria e dependentes precisam apresentar os seguintes documentos nas unidades do Sesi: cópia da Carteira de Identidade e da Carteira de Trabalho (página da foto, qualificação civil e contrato de trabalho), além do Histórico Escolar original. Para dependentes, é necessário apresentar também a Certidão de Nascimento ou Casamento.

Para os demais interessados, são exigidos cópia da Carteira de Identidade, CPF, cópia do comprovante de residência e Histórico Escolar Original.

Mais informações podem ser obtidas pelos telefones das unidades do Sesi:
  • Várzea Grande: (65) 3685-2311 / (65) 2128-2056 (WhatsApp)
  • Rondonópolis: (66) 3410-2440
  • Sinop: (66) 3531-3611 / (66) 99646-2021 (WhatsApp)
  • Cáceres: (65) 3223-4033
 
Sitevip Internet