Quarta-feira, 29 de maio de 2024
informe o texto

Notícias Educação

Escola estadual de tempo integral envolve estudantes na produção de hortaliças

Rui Matos | Seduc-MT

18/08/2023 - 12:33 | Atualizada em 18/08/2023 - 13:24

Escola estadual de tempo integral envolve estudantes na produção de hortaliças

Foto: Assessoria

Os mais de 300 estudantes da Escola Estadual de Tempo Integral Padre João Panarotto, em Cuiabá, estão envolvidos no Projeto Hortas Escolares, coordenado pelas Secretarias de Estado de Educação (Seduc-MT) e de Agricultura Familiar (Seaf-MT). A produção de hortaliças, frutas e outros alimentos orgânicos é destinada à alimentação dos próprios alunos. 

Lançado em 2019 pelo Governo de Mato Grosso, neste ano o projeto recebeu recursos da ordem de R$ 3,2 milhões para atender as 329 escolas que apresentaram propostas. 
 
De acordo com o gestor educacional da unidade, Amauri Euzébio da Silva, o projeto beneficia 313 estudantes do ensino fundamental e médio com ações interdisciplinares que estabelecem relações entre a instalação, o manejo das cultivares e os conhecimentos curriculares.

“Cultivamos a nossa horta em anos anteriores, mas, com essa parceria, ampliamos ainda mais o apelo pedagógico, o empreendedorismo e o protagonismo juvenil”, destacou. 

A ideia de implantar uma horta com mudas frutíferas já era uma vontade dos profissionais de educação. "Era algo que idealizávamos há algum tempo, pois observamos a necessidade de envolver nossos estudantes em atividades diversificadas, interdisciplinares e transversais, visto que nossa escola é de tempo integral”, explicou a professora Lidiane Almeida da Silva.
 
De acordo com o professor Paulo Rosa, os estudantes são os verdadeiros protagonistas do projeto. “Envolvidos desde a ideia inicial na implantação e na manutenção da horta, e contribuindo de maneira efetiva no processo de ensino e de aprendizagem, eles experimentam diferentes abordagens que contribuem com o crescimento individual e coletivo”.
 
Ele destacou que as ações contam com a participação de todo o corpo docente e os demais trabalhadores da educação da escola. “O objetivo, em primeiro lugar, são os fins didáticos na formação dos estudantes, assim como o aproveitamento da produção de hortaliças e temperos verdes na alimentação escolar".

Para a coordenadora pedagógica, Kátia Alessandra, os projetos são desenvolvidos de maneira extracurricular e o objetivo é expandir cada vez mais para a comunidade. "Quando há excedente, os estudantes considerados hipossuficientes levam um kit de produtos para casa. Essa atividade também tem o seu lado social”, pontuou. 
 
O projeto conta com o apoio da Empresa Mato-Grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer) que, nesse ano, fez a doação de 50 mudas de bananeiras e presta assessoria de manejo e manutenção da horta e da plantação das novas mudas.
 
"Dentre as parcerias formadas através da Seduc e Seaf, receberemos todo o suporte técnico de agrônomos que nos ajudam no trabalho com o solo”, contou o professor Edimilson Almeida, também envolvido no projeto.
 
Atualmente, está sendo feito o plantio de bananeiras, mandiocas, entre outras. O foco agora é ampliar o cultivo na escola e multiplicar as mudas para doar aos estudantes.
 
Sitevip Internet