Quinta-feira, 23 de maio de 2024
informe o texto

Notícias Educação

Reativados pela Seduc, grêmios estudantis já estão presentes em 76% das escolas estaduais de MT

Reativados pela Seduc, grêmios estudantis já estão presentes em 76% das escolas estaduais de MT

Foto: Wesley Rodrigues

Três anos após serem reativados pela Secretaria Estadual de Educação de Mato Grosso (Seduc), os grêmios estudantis já foram implantados em 76,5% das 666 escolas estaduais, colocando o Estado como o mais ativo na democratização dos espaços escolares.

O índice está bem acima da média nacional para escolas públicas, que é de 12,3%, segundo o Mapeamento de Grêmios Estudantis no Brasil realizado pela Campanha Nacional pelo Direito à Educação, em parceria com a Iniciativa Nós, o Sistema de Educação Pública Antirracista e a União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (Ubes). São 510 escolas com grêmios e outras 81 estão em fase de implantação.

A instalação de grêmios foi retomada em 2020, a partir da criação da Representação dos Grêmios na Superintendência de Gestão de Diretorias Regionais de Educação (SGDR), sob a responsabilidade da Secretaria-Adjunta de Gestão Regional.

O secretário de Estado de Educação, Alan Porto, afirma que o grêmio tem a capacidade de integrar mais os estudantes entre si e com toda a escola. “Por meio das agremiações, os alunos ganham voz na comunidade escolar”, enfatiza, ao lembrar do 1º Encontro dos Grêmios Estudantis do Estado de Mato Grosso – Conexão Jovem, realizando no dia 1º de junho de 2023, em Cuiabá, que reuniu mais de 1.500 estudantes. 

Na avaliação do representante dos grêmios na Seduc, Leonardo Coelho, a inserção da organização nas escolas foi um passo importante para que os estudantes possam realizar escolhas, definir metas e fazer ações em conjunto para que se tornem autônomos e promovam o espaço democrático da escola onde toda a comunidade tem vez e voz.
 
Leonardo também destaca que, para dar mais autonomia aos grêmios, a Seduc vai realizar ainda em agosto de 2023 um curso sobre liderança ativa para todos os presidentes ou vices.

"A ideia é que entendam melhor a sua função na comunidade escolar e desenvolvam seu protagonismo, de modo que sejam capazes de identificar seus espaços e planejar ações promovendo empatia e equidade no contexto escolar", pontua.
 
Presidente do Grêmio Estudantil Geração Acadêmica Consciente (GAC), da Escola Estadual Militar Tiradentes Celso Henrique de Souza Barbosa, em Nova Mutum, Saymon Lopes George, afirma que a principal missão do grêmio do qual faz parte é honrar a escola e fazer com que o nome dela seja cada vez mais respeitado. “Fora isso, promovemos ações recreativas e sociais que ajudam famílias carentes do município”, comentou.
 
Já na Escola em Tempo Integral Vocacionada a Línguas Antônio Epaminondas, em Cuiabá, o professor Jackson Regis, que é o interlocutor do grêmio, diz que o trabalho realizado pelo grêmio é brilhante e que a Seduc tem priorizado esse protagonismo que busca sempre uma melhor versão para o futuro de cada um e a também na manutenção dos estudos”, finalizou.

Os grêmios só não serão instalados nas 70 escolas de educação indígenas e cinco quilombolas que possuem características próprias de suas lideranças.
 
 
Sitevip Internet