Notícias - Meio Ambiente

Secom | Postado em 09.09.2019 às 16:00h
Jorge Pinho Projeto que une o pedagógico e a gestão de resíduos nas escolas é modelo para municípios

Projeto que une o pedagógico e a gestão de resíduos nas escolas é modelo para municípios

Implantado em cinco escolas, projeto Biogás e Eco-Alfabetização na Escola Cuiabana foi visitado por gestores de Várzea Grande

Gestores do Núcleo Ambiental da Secretaria Municipal de Educação de Várzea Grande conheceram na manhã desta terça-feira (27), um dos projetos que estão sendo implementados pela gestão Emanuel Pinheiro, nas unidades educacionais da Capital. Visando o enriquecimento do processo ensino, aprendizagem e a destinação correta de resíduos orgânicos, o sistema, implantado como piloto, ainda não foi lançado oficialmente, mas já apresenta resultados positivos.

O secretário Municipal de Educação de Cuiabá, Alex Vieira Passos, acompanhou o vice-prefeito de Várzea Grande, José Aderson Hazama e o secretário de Educação, Silvio Fidelis, na visita a Escola Municipal de Educação Básica (EMEB) Madre Marta Cerutti, no bairro Bela Vista, onde um biodigestor está instalado há três meses. A unidade foi a primeira das cinco, a receber a tecnologia israelense.

O projeto Biogás e Eco-Alfabetização na Escola Cuiabana consiste na instalação de um biodigestor para a produção do gás metano que é utilizado na cozinha, para o preparo da alimentação diária dos alunos. A energia produzida vem de restos de comida e outros detritos orgânicos, que antes iam para o lixo. Além do gás metano, o resíduo desse processo é utilizado como adubo orgânico nas hortas e jardins. A expectativa é de que o processo além de um ganho pedagógico traga uma economia substancial para as unidades escolares da rede.

O secretário Alex Vieira Passos falou sobre a tecnologia avançada desenvolvida no projeto, e os ganhos pedagógicos e ambientais da iniciativa que envolve toda a comunidade escolar na preservação do meio ambiente. “O biogás foi instalado em caráter experimental. Após o período de um ano meio, haverá uma avaliação do projeto levando-se em conta os investimentos em equipamentos e pessoal técnico, para determinarmos o custo benefício para as unidades escolares”, explicou o secretário.

O vice-prefeito José Aderson Hazana elogiou a iniciativa. “Tudo que significar melhorias educacionais dentro de um centro de ensino, é de grande valia para as nossas crianças, para os pais dos alunos e também para o município”, disse ao comentar que o momento é de sustentabilidade para toda sociedade. “Um projeto dessa envergadura, que gera economia e tem um ganho pedagógico, é um grande legado”, disse Hazama.

O secretário de Educação de Várzea Grande, Silvio Fidélis destacou a necessidade de se procurar cada vez mais matrizes de energia limpa e de consciência ambiental, e aplaudiu a iniciativa do secretário Alex Vieira Passos. “A iniciativa de Cuiabá é exemplo para muitos municípios que buscam resultados satisfatórios na gestão. Nós estamos vendo aqui, na prática, um projeto que cabe em todos os municípios de Mato Grosso, e com certeza nós vamos levar essa ideia para Várzea Grande”, disse Silvio Fidélis que salientou o objetivo pedagógico do projeto que envolve a questão ambiental, cidadania e qualidade de vida das crianças. “Nós temos que parabenizar a iniciativa com a certeza que o contexto trabalhado dentro de uma unidade escolar, enriquece o aprendizado”, avaliou ele.

O secretário de Educação de Cuiabá, Alex Vieira Passos, contou que o interesse pelo projeto Biogás Eco-Alfabetização já atravessou as fronteiras de Cuiabá.  “Este é mais um case de sucesso da gestão Emanuel Pinheiro na Educação de Cuiabá. Estamos inovando, sem esquecer nossa missão, que é cuidar das pessoas. Estamos mostrando o projeto na prática para Várzea Grande e estamos à disposição dos municípios que tiverem interesse”, disse Alex Vieira Passos

O projeto piloto está completando três meses e, com o fechamento do primeiro ciclo de avaliação no próximo mês de dezembro, a expectativa da Secretaria de Educação é implantar o biodigestor em outras unidades da rede ainda em 2020.