Notícias - Literatura

Assessoria | Postado em 10.09.2019 às 16:08h
Divulgação EDUARDO MAHON E LUCIENE CARVALHO PELO MUNDO DA LITERATURA

EDUARDO MAHON E LUCIENE CARVALHO PELO MUNDO DA LITERATURA

Os escritores mato-grossenses Eduardo Mahon e Luciene Carvalho terão suas obras analisadas em um congresso internacional de literatura a ser realizado em Portugal, entre os dias 10 e 11 de outubro. O ciclo de palestras acontecerá na Universidade de Aveiro, uma das 50 melhores universidades europeias e a organização do evento está a cargo da Dra. Maria Fernanda Brasete. Não é a primeira vez que Mahon é objeto de apresentação nos círculos portugueses. Em 2017, o livro Contos Estranhos constou na apresentação de uma das mesas de debate no congresso internacional. Agora, ele e Luciene Carvalho serão apresentados pela Dra. Elizabeth Battista e Dra. Olga Maria Castrillon Mendes, ambas ligadas à Universidade do Estado de Mato Grosso.

Luciene Carvalho lançou recentemente o livro “Dona”, pela editora Carlini e Caniato. O sucesso foi imediato. A Unemat selecionou a obra poética como bibliografia obrigatória para o exame vestibular. Além disso, Luciene percorreu oito cidades de Mato Grosso atendendo convites de entidades públicas e particulares. A escritora está sendo estudada nos programas de mestrado e doutorado dentro e fora do Estado e apresenta-se no aniversário de Corumbá, sua cidade natal. “Fico realizada por dar voz aos guetos que represento. Passei a ser uma voz que expressa muitas outras vozes. A minha obra está sendo reconhecida por estudiosos e isso realiza não só a mim, mas milhares de pessoas que apostaram no meu trabalho”, comentou Luciene.

Já Eduardo Mahon consolida-se ainda mais na literatura, com o lançamento do quinto romance cujo título é “A gente era obrigada a ser feliz”. O 15º livro do autor foi apresentado recentemente na abertura de um congresso de literatura promovido na Universidade de São Paulo – USP. Em Mato Grosso, Mahon apresentou o romance ao público no teatro da Universidade Federal de Mato Grosso na mesma noite em que Ivan Belém encenava a peça “Progresso”, de autoria do escritor. “O público foi gigantesco e lotou o teatro, ficamos impressionados com a receptividade e o prestígio de Ivan, Marchetti e Mahon naquela noite”, comentou Fernando Tadeu de Miranda Borges, pró-Reitor da UFMT.

Na Europa, o Dr. Erik Van Archer finalizou a tradução de “Contos Estranhos” e aguarda agenda para o lançamento na The Katholieke Universiteit Leuven – KU Leuven, Bélgica. Van Archer é um dos maiores estudiosos europeus do conto na literatura contemporânea e promove a tradução do escritor mato-grossense com direito a resenha crítica como apresentação. Mahon se diz surpreso: “Escrevo para mim mesmo e, no máximo, para alguns amigos. Percebo, no entanto, que os livros estão encontrando interesse acadêmico, inclusive no âmbito do mestrado e doutorado. Essa é a verdadeira forma de deixar um legado às próximas gerações, o que me honra muito”, comentou.

Os projetos da literatura mato-grossense não param. Se Luciene Carvalho vai a Corumbá como convidada especial para firmar uma parceria história com Cuiabá, Mahon tornou-se editor da Revista Pixé, uma das mais badaladas publicações literárias mato-grossenses. A revista já está na 8ª edição e conta com mais de 50 colaboradores de todas as partes do país, incluindo os mato-grossenses Lucinda Persona, Aclyse de Mattos, Ivens Scaff, Marta Cocco, Divanize Carbonieri, Lorenzo Falcão, Luiz Renato, Cristina Campos, Marilza Ribeiro, Mário Cézar Silva Leite e vários outros nomes que se festejam todos os meses uma nova tiragem.

Os escritores planejam um curso de literatura. “Será uma parceria entre o IFMT e o SESC Arsenal”, informa Mahon. As mesas estão sendo organizadas pela escritora e estudiosa de literatura Marli Walker e Lívia Bertges, responsável pela pasta de literatura na entidade. A expectativa é reunir 150 inscritos entre os dias 19 e 27 de outubro. Além disso a revista on-line, em parceria com a editora Carlini e Caniato, organiza o 1º Prêmio Pixé de Literatura, premiando os vencedores com R$ 6 mil: “Os envelopes começaram a chegar. Tenho esperança em revelar novos talentos”, conclui Mahon.