Notícias - Literatura

Angélica Moraes | SEC-MT | Postado em 15.06.2016 às 17:40h
Os nove escritores que tiveram as obras premiadas nesta primeira edição do certame - Foto por: Junior Silgueiro GCom-MT Cerimônia de premiação tem tapete vermelho e noite de autógrafos

Cerimônia de premiação tem tapete vermelho e noite de autógrafos

Centenas de pessoas prestigiaram os escritores e obras selecionadas nesta primeira edição do concurso

“Depois de muitos anos como escritor, eu hoje tenho uma certeza. A literatura fez de mim uma pessoa melhor”. A frase é de Ricardo Medeiros Ramos Filho durante a solenidade de premiação dos autores e obras contemplados no primeiro Prêmio Mato Grosso de Literatura. A cerimônia realizada na última terça-feira (14.06), no Palácio Paiaguás, teve direito a tapete vermelho, noite de autógrafos e a presença de centenas de pessoas entre escritores, artistas e admiradores da literatura em geral.

O escritor, que é neto de Graciliano Ramos, fez parte da comissão de jurados responsável pela seleção dos nove títulos vencedores do prêmio. Para ele, participar da análise das obras permitiu entrar em contato com uma literatura regional de alta qualidade e conhecer melhor a gente de Mato Grosso. “Principalmente me permitiu ser otimista, ver que há muita gente nova surgindo com boa literatura, o que me deixa muito feliz”, ressaltou.

Lançado em julho do ano passado, o certame teve ao todo 157 obras inscritas de autoria de escritores de diversas regiões do Estado. Foram contempladas nove, sendo cinco de escritores do interior, vindos dos municípios de Poxoréu, Tangará da Serra e Araputanga.

“Reconhecer o trabalho de quem estava nas prateleiras sem ser reconhecido é muito bom, esta é uma iniciativa louvável”, disse Marilia Beatriz de Figueiredo Leite, presidente da Academia Mato-grossense de Letras (AML).

Para o presidente em exercício da AML, José Carrara, o Prêmio inaugura uma nova fase da literatura mato-grossense. “A partir de hoje nossas fronteiras serão ultrapassadas, temos uma produção literária extremamente rica, mas pouco explorada e pouco conhecida. Há muita beleza na escrita mato-grossense em diferentes gerações. Esta iniciativa é uma oportunidade única para tantos talentos que produzem coisas boas e precisam de espaço para divulgar suas ideias e pensamentos”, salientou.

O escritor e ator Ivan Belém transformou os anos de amizade com o ator Liu Arruda em “A travessia de um bufão”, livro premiado na categoria biografia. Na opinião de Belém, este reconhecimento é também um estímulo para muita gente e uma porta aberta ao surgimento de novos talentos literários. “É a primeira edição que já vem com um peso por ser uma iniciativa de Estado. Uma ação deste porte fortalece a literatura regional”.

Homenagem

Na ocasião foi assinado o decreto que institui 2016 como o Ano Manoel de Barros. O escritor cuiabano, reconhecido internacionalmente, nasceu em 19 de dezembro de 1916 e estaria completando 100 anos, mas faleceu em 13 de novembro de 2014.

Até o dia 31 de dezembro deste ano serão realizadas diversas atividades comemorativas em alusão à vida e obra deixadas pelo poeta. “Manoel de Barros, além de um grande escritor, foi também um grande humanista. Quem fala que pode carregar água em peneira, que gosta mais de vazios do que cheios é alguém muito especial”, disse o governador Pedro Taques.