Notícias - Educação

Daniel Dino | Postado em 28.04.2022 às 07:19h
Assessoria Sintuf-MT TRABALHADORES DA UFMT PARALISAM SUAS ATIVIDADES NESTA QUINTA-FEIRA (28)

TRABALHADORES DA UFMT PARALISAM SUAS ATIVIDADES NESTA QUINTA-FEIRA (28)

Os trabalhadores técnico-administrativos da UFMT aprovaram uma paralisação geral de suas atividades nesta quinta-feira (28.04). Trata-se de uma paralisação nacional convocada pelo Fórum das Entidades Nacionais dos Servidores Públicos Federais (Fonasefe) cobrando a recomposição salarial de 19,99%. Com o tema: “Reajuste não é aumento, é direito!”, os trabalhadores irão realizar uma panfletagem na entrada da universidade às 07h30.

“As trabalhadoras e trabalhadores do serviço público federal exigem respeito e a imediata abertura de negociação. O índice que estamos cobrando representa apenas a inflação acumulada durante o Governo Bolsonaro. Pedimos que a sociedade em geral nos apoie e entenda: Nossos salários estão congelados há 6 anos. Muitos trabalhadores não estão conseguindo comprar os remédios que necessitam, manter suas famílias, os relatos de depressão estão aumentando numa escala assustadora”, destacou a coordenadora geral do Sintuf-MT, Luzia Melo.

Para a coordenadora administrativa do sindicato, Léia de Souza Oliveira, existe muita informação equivocada circulando pela imprensa. “O Governo Federal anunciou pela imprensa que iria oferecer um reajuste de 5% para o funcionalismo, porém, esta proposta nunca foi apresentada em uma mesa de negociação. Não há nenhuma informação de como seria este reajuste. O que estamos cobrando é a abertura de uma mesa de negociação, que o Governo apresente sua proposta para que possamos fazer nossa avaliação e apresentar nossas reivindicações. Infelizmente o que o Governo faz é tumulto, é desinformação”.

Além da pauta nacional, que é a recomposição salarial, os trabalhadores cobram uma política eficaz de segurança na UFMT, o retorno da jornada contínua para os trabalhadores que atuam no atendimento ao público interno e externo, e o reconhecimento institucional dos trabalhadores aposentados. Outra medida solicitada é a instalação da Coordenadoria de Assistência Social nos campus do Interior.

A assembleia que aprovou a paralisação foi realizada na sede do Sindicato dos Trabalhadores Técnico-administrativos em Educação da UFMT (Sintuf-MT) nesta terça-feira (26.04).